Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 10 de maio de 2016

10/05

Não a tenho à celebrar
Nem por ouro a me pintar
Passo longe e voo esquivo
Fortuito à espera

Olhos de céu que se marejam
vida bela de pureza
colchão de paz pra quem é caos
embargo ao mal de quem lhe traz

Gira a terra
gira o mundo
gira tudo e gira eu
aponto agora longe o que tocava os meus dedos
aplaudo distante sem a chance de ser ouvido

Mas receba minhas preces
de bom grado e coração
aceite minhas palavras que se fazem ponte ao meu querer
e por querer e não poder só me restam estas linhas
a incerteza e o papel branco pra falar o que não cabe mais em mim

Não há dia que não seja seu
mesmo no minuto em que você se perder
não há alma que não se renda
pois tudo acalma e se põe a admirar
a eloquência de suas asas pelo corpo à voar
o magnetismo envolvente que reflete o azul do seu olhar

Rosto limpo

Personalismos protetores
ponderáveis e impalpáveis
maquiagem de mulher, de homem chulo que não cala
mas se fala, vocifera, contra a pele que arde à mostra
dá o tom da cor que nasce pelo corpo que é verdade
nem ao menos cabe aos pelos construir a forte face
da feição que faz ser gente
ou das pernas que se raspam

É mais a fundo e lá pra dentro
onde os olhos não alcançam
que tilinta a simetria incomensuravelmente
Não há fórmulas nem formas
Não há certo nem certeza

O peso do meu coração
Não o tamanho.

sábado, 7 de maio de 2016

Ana mulher

E o acaso lhe trouxe à nós
Numa nuance de incertezas e dificuldades
exasperando em medo quanto aos trâmites de bolsos
Tornando crianças todas as nossas estimas de adulto
Pondo definitivamente todos os sorrisos no lugar certo

Você já coube em meus braços
Enquanto coube à mim me descobrir teu irmão
Aguçando meus sentimentos pra que eu pudesse sentir por você
Ser por você, estar com você
Acompanhando os primeiros passos de uma estrela que se pôs a brilhar

Aprendi com seus sorrisos que o amor dormia no quarto ao lado
E que a saudade apertava em forma de dor em todos os instantes em que tive que partir
Mas por você Ana Laura, Amanda e meus pais
Voltei pra colher o que jamais encontrarei em nenhum outro lugar do mundo
O amor em seu estado mais puro
Compartilhado por quem carrega o meu sangue.

Amor de irmão é incontestável
É a legítima instância onde o bem transpassa o mal
E faz transbordar os olhos, o peito e a mente

O mundo é grande e você vai ser o que quiser
Ana menina, Ana Linda, Ana Laura, Ana mulher.