Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 28 de junho de 2014

Sessão retrô

Sou uma parede em branco
A fumaça de um cigarro de maconha
Um índio deitado em uma rede
O cheiro do incenso

Sou a janela aberta
O vento que refresca
A luz que dá bom dia
O gosto do café

A balança dos sentidos marca o zero
Marca a leveza do espírito
Na grandeza que é a mortalidade
Contra todo sentimento eremofóbico

Os quilômetros da estrada são degraus
São a deixa de um contato
Pela experiência e pelo aprendizado
Respondem a qualquer porque

Memórias são histórias
Histerias, alegrias
Mas o branco me invade
Me faz novo, de novo.



segunda-feira, 9 de junho de 2014

Reticências

A ladeira cansa as pernas, as pedras nos fazem tropeçar
Descansaremos no vão de alguma fresta
Em qualquer porta que nos esconda
Sob um teto que nos permita

O gosto de um erro pode dar água na boca
Nada é intocável, tudo se mostra vivo
No mais gélido vento que nos arrebata
O diálogo dos olhares é suficiente pra me aconchegar

Somos um flerte de improbabilidades
De descrenças de quem vê de fora
Iremos pra casa
Pontuaremos a história com reticências