Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Feliz ano novo

Sinceramente, olhe para todos.
Julgue pelos olhos de quem crê.
Morra infinita, pelos traços de quem lhe compreendeu.
Estou longe de mim mesmo, preciso escrever.

Olhe só para você. Dois anos se passaram.
Nenhum traço de quem poderia me reconhecer.
Somos todos iguais nas festas de dionísio.
Vontades mundanas. Insanidade acerca de quem somos.

A velha utopia de tornar-se lenda.
Você está posta pelo espírito de quem tentou ser mais um cowboy.
E então cavalgue em prol de diamantes.
Sempre irão lhe envolver,  tentarão ao menos.

Sou lenda para quem me observa.
Estou posto para quem paira.
Enquanto eu tentar gritar por uma voz que não existe,
serei corpo de quem esteve ao alcance dos mortais.

Estendido aos pés de qualquer discípulo.
Ridicularizado pela tela de um sistema.
Estou enquadrado nas semelhanças dispersas de quem queria ir de fininho.
Enterre-me sem sentir o ardor de um corpo comum.

Um comentário:

  1. Desonestamente, olho para todos.
    Julgo por meus olhos, que achavam crer..
    Morro ao infinito, pelos traços de quem me compreendeu.
    Estou longe e perto de mim mesma, preciso escrever..

    .Olhe só para você , não importa quanto o tempo passa
    Algum traço de quem poderia me reconhecer?
    Somos todos iguais nas festas de dionísio.
    Vontades mundanas. Insanidade acerca de quem somos.

    É lei a utopia tornar-se mais uma velha lenda?
    Você é quem esta a postos de mais um espírito que tentou virar cowboy?
    Cavalgue com a força do vento e com a mesma garimpe seus diamantes ...
    Eles tentarão lhe envolver e tentarão apenas.

    Somos lendas aos olhos do observador curioso
    Quero ser posto para quem me paira,
    Para que quando eu gritar com uma voz que não existe
    Os surdos entendam: sou o corpo que ultrapassou os mortais.

    Me estendo aos pés de qualquer mero discípulo
    Ainda sim , serei ridicularizada por qualquer sistema
    Estou aprisionada a qualquer semelhança ... o diferente é igual...
    É ai que lhe peço: Me enterre , por ser mais um corpo comum...
    (xxx)

    ResponderExcluir